Adolescente no volante

ADOLESCENTE NO VOLANTE

Adolescência, do latim adolescere, significa crescer, desenvolver-se, tornar-se jovem.

A adolescência teve, durante a evolução das ciências biológicas, psicológicas e sociais, muitos de seus aspectos estudados. Diversos autores, em função de embasamentos teóricos diversos, chegaram às suas conclusões. A base porém está sempre calcada em suas transformações, onde todos são unânimes ao concluir que "adolescer" é mudar. E, como em toda mudança, existe a exigência de novas adaptações.

A seguir alguns aspectos das mudanças do adolescente, em linhas gerais as transformações ocorrem:

. No físico: Todas as mudanças hormonais definem o desenvolvimento do esqueleto e das características sexuais;

. No intelectual: Segundo Piaget o adolescente entra no estágio das Operações Formais, quando se torna capaz de realizar o raciocínio hipotético-dedutivo. Uma vez desenvolvida uma hipótese, ele é capaz de construir um experimento científico a fim de testá-la e deduzir se é ou não verdadeira;

. Formação da identidade: As mudanças físicas afetam o autoconceito e a personalidade. As mudanças hormonais afetam o humor, levando às variações tão comuns nesta fase. A busca da identidade ocorre de diversas maneiras: pelo desenvolvimento dos próprios valores, pelo orgulho em realizações, pelos relacionamentos íntimos com amigos, pelas relacionamentos com o sexo oposto;

. O desenvolvimento moral: Este é um período de descobertas e questionamentos sobre o que é certo ou errado. Ao buscar sua identidade eles naturalmente desafiam a figura dos pais e dos responsáveis.

. O egocentrismo na adolescência: Os adolescentes voltam grande parte de sua energia em preocupações consigo mesmo. Seus pensamentos se voltam para si e acredita que os outros estão preocupados com sua aparência ou comportamento;

. Necessidade de questionamentos: Os jovens se prendem a certos ideais a medida que crescem e, na adolescência, estes ideais conflitam com o mundo real. Eles se conscientizam das tragédias humanas, descobrem a inconsistência e a hipocrisia nos modelos à sua volta, sofrem desilusões com as instituições, tais como: relações familiares, sistema escolar, religião, política.

Muitos se rebelam, ou se retraem, ou se refugiam nas drogas. O adolescente necessita quebrar as normas impostas pelo mundo adulto e criam um espaço próprio onde tudo é permitido, neste mundo sua satisfação vem de realizar o proibido, desde não fazer os deveres escolares até beber e usar drogas.

Alguns fatores presentes neste momento de vida influenciam no sentido do adolescente violar padrões em sua volta, tais como:

. Ir contra a sociedade: O adolescente questiona as leis e se revolta contra os costumes. Em função de seu egocentrismo ele se coloca numa posição em que ele está sempre correto e o mundo está errado, seu emocional afirma que é necessário ir contra este mundo;

. Ansiedade: A ansiedade está presente em vários aspectos na vida do adolescente. As fontes de ansiedade são muitas, tais como: pressão familiar, problemas na escola, mudanças na aparência física, decisão profissional, o início da vida sexual...

. Mimetismo: A tendência a imitar seu grupo se identificando com ele e se tornando igual ao grupo com o objetivo de ser aceito.

. Pressão grupal: Por sua necessidade de aceitação por parte do grupo, o adolescente em geral cede às pressões do mesmo, no sentido de realizar comportamentos rejeitados socialmente.

. Necessidade de contrariar as autoridades: O adolescente necessita da atenção dos pais, fazendo tudo para ser notado e querendo estar no centro das questões familiares. Ao contrariar as expectativas e as exigências paternas ele vai firmando suas posições no mundo.

. A procura de novas sensações: Muitos dos atos cometidos pelos adolescentes, que são reprovados socialmente, se caracterizam como uma necessidade de obter novas sensações. Estas novas sensações normalmente são obtidas através de testes de limite. Como por exemplo: "Até onde posso ir?", "Até que ponto posso levar minha vida?".

São muitas as formas que o adolescente encontra para questionar e infringir as regras sociais vigentes, como por exemplo:

. Consumir drogas leves e pesadas;

. Desrespeitar pais, professores e autoridades;

. Faltar aulas;

. Falsificar datas de nascimento nos documentos a fim de entrar em estabelecimentos proibidos para menores e também com o objetivo de ingerir bebidas alcóolicas;

. Arrumar brigas na escola e em lugares públicos;

. Destruir telefones públicos, lâmpadas nos postes, cadeiras e mesas escolares;

. Pichar muros;

. Escrever palavras obscenas em banheiros públicos;

. Formar gangues de acordo com a arte marcial que pratica ou do lugar onde reside;

. Cometer pequenos furtos em supermercados, lojas de conveniência e lojas de departamento;

. Não cumprir normas da boa educação;

. Mentir e enganar os pais;

. Ser promíscuo, namora mais de uma pessoa ao mesmo tempo;

. Humilhar os mais pobres, os negros e os portadores de deficiência física;

. Dirigir sem carteira de motorista;

. Fazer "pegas" ou "rachas" com o carro.

Mais especificamente quanto ao trânsito o adolescente encontra diversas formas de transgredir as normas vigentes. Vejamos um pouco mais especificamente cada uma delas:

- Uma delas é fazendo racha ou pega: adolescentes, muitas vezes menores de 18 anos, pegam os seus carros ou o carro dos pais e confundem ruas com pistas de corrida.

No fim de semana, a turma pega um carro para dar umas voltas, vai a uma festa, o motorista bebe, corre na volta...E, então, ocorrem os numerosos desastres de trânsito. O exemplo mais claro de que isso acontece são os "rachas" ou "pegas". Eles são proibidos, reprimidos pela polícia e sujeitos a multa de 492 reais.

As meninas admiram o lado mais social do evento que o "pega" se torna. Nas noites de sábado e domingos, os postos de gasolina viram o ponto de encontro. Normalmente os participantes procuram avenidas largas onde poderão realizar perigosamente suas manobras. O principal problema é que as corridas acontecem sem segurança para corredores, platéia e qualquer um que passe. Eles podem acontecer em qualquer lugar: é só um motorista se sentir desafiado por outro. Para se identificar, os corredores usam códigos. Os participantes garantem que tudo é uma brincadeira porém dirigindo a 140 quilômetros por hora, com o pára-choque colado na traseira do carro da frente, é fácil perder o controle, e quando isso acontece...

- Outra transgressão bastante atraente ao adolescente é dirigir sem carteira de motorista, com o próprio carro dos pais e geralmente sem o conhecimento destes.

Analisando os números do trânsito no Brasil poderemos entender melhor a gravidade da realidade do trânsito no Brasil,

. 25.000 pessoas morrem por ano no trânsito do Brasil;

. Outras 300.000 saem dos acidentes feridas. 180.000 delas, com lesões permanentes;

. A causa: falha humana em 90% dos casos;

. Internações: Pessoas feridas em acidentes de trânsito passam em média 9,1 dias ocupando um leito de hospital;

. Os números de acidentes graves aumentam em 107% nos dias chuvosos;

. 74% dos desastres em estrada acontecem com tempo bom, 60% durante o dia e em trechos de reta e 51% envolvem um único veículo. Velocidade, manobras radicais e consumo de álcool são as principais causas;

. Motoristas com idade entre 16 e 19 anos se envolvem em quatro vezes mais acidentes fatais do que motoristas com idade entre 30 e 54 anos;

. O período entre as 17 e 19 horas, tanto nos dias úteis quanto nos finais de semana, é um horário em que boa parte dos acidentes com vítimas acontece. O pico, porém, ocorre nas madrugadas de sábado e domingo - momento em que muitos dirigem alcoolizados e as pistas estão livres para altas velocidades;

. Segundas e terças-feiras são os dias mais tranqüilos no trânsito com médias apontadas de 59 acidentes por dia. Nos sábados esse número sobe para 95 desastres, enquanto no domingo, a média chega a 96 acidentes fatais;

. Apenas 10% dos veículos que tomaram parte em desastres com mortes eram dirigidos por mulheres;

. Acidentes de trânsito são responsáveis por mais fatalidades a cada ano do que homicídios, mortes por acidentes de trabalho ou quedas de aviões;

. Mais de 50% dos acidentes de trânsito envolve alguém que estava alcoolizado;

Dados obtidos através da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), da Polícia Rodoviária Federal, do SEADE (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados), do PARE (Programas de Redução de Acidentes nas Estradas), Fatos e estatísticas de acidente de trânsito em São Paulo da CET-SP (Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo), Secretaria de Serviço Público e Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco.

A paixão pela velocidade acompanha a ebulição dos hormônios de adolescentes de 18 a 21 anos. Os jovens tem a sensação de que são eternos e não medem conseqüências quando decidem cometer infrações no trânsito. Este comportamento leva as empresas de seguradoras a adotar estratégias inovadoras à procura de clientes que sejam no mínimo, responsáveis. Oferecendo descontos para motoristas que tenham mais de 30 anos de idade e com mais de 5 anos de habilitação.

As estatísticas refletem friamente, em números, as questões de trânsito e a realidade brasileira. É inegável o contingente de participação dos adolescentes no percentual de acidentes, que seja por negligência, imperícia ou imprudência são causadores de mortes ou invalidez.

Os fatores que levam aos números alarmantes ainda não foram totalmente esclarecidos, somente a partir de uma definição melhor de como os jovens percebem o trânsito é que se poderá realizar um trabalho preventivo efetivo pois se localizará o ponto onde o adolescente será sensibilizado para esta questão.

Ao compreender a forma como o adolescente encara sua vida é que poderemos analisar seu conseqüente comportamento no trânsito. E de que maneira o adolescente atual se percebe? Qual a visão de futuro e de vida que possuem?





CONTATOS












Notícias de Trânsito

desde 1998 o portal
do trânsito brasileiro